Quando:
24 Agosto, 2020@11:57_12:57
2020-08-24T11:57:00+01:00
2020-08-24T12:57:00+01:00


Coprodução Linha de Fuga

 
Oficina de criação e espetáculo com Alex Cassal, Keli Freitas, Márcia Lança e Renato Linhares
19 de setembro a 1 de outubro
 

Apresentações
2 de outubro | 18h30 e 21h30
3 de outubro | 16h e 19h
Oficina Municipal do Teatro

 

Bilheteira
A lotação é limitada
Devido à situação epidemiológica atual é obrigatória a reserva e levantamento antecipado dos bilhetes.
 

Informações e Reservas

239 714 013
912 511 302
info@oteatrao.com

Speed Date

LINHA DE FUGA – Laboratório & Festival Internacional de Artes Performativas

 
Quatro criadores propõem aos participantes da oficina participar num processo criativo: a experiência performática SPEED DATE que será criada em conjunto com atores do Teatrão. Propõe-se pensar as práticas de criação a partir de uma dramaturgia e de um dispositivo cénico com uma ideia inicial: Nós não nos conhecemos. Ainda não sabemos o que temos em comum ou o que nos diferencia irreconciliavelmente. O que pode surgir deste encontro? Como prever o seu desenlace?
SPEED DATE propõe que cada participante imagine maneiras de atravessar o espaço que nos separa dos outros. Qualquer procedimento é válido: o que importa é dar-se a conhecer num intervalo de poucos instantes, estabelecer algum tipo de contacto com quem está diante de nós. Pensar em perguntas que podem iniciar uma conversa. Perguntas como portas para lugares que ainda não conhecemos. Quais são as ferramentas possíveis para produzir intimidade?
 

Sobre o Festival

Linha de Fuga é a segunda edição de um laboratório e festival internacional que visa promover o encontro entre criadores, artistas e pensadores de diferentes países com o público e a cidade de Coimbra. Concebido como um campo de experimentação, aprendizagem e partilha de conhecimento coletivo.
Na segunda edição de Linha de Fuga, voltamos a gerar uma dinâmica de espaço de encontro entre artistas de distintas origens (o laboratório) e uma programação virada para a cidade (o festival). Seguindo a mesma dinâmica de pensar a arte como produtora de conhecimento, propomos um foco sobre o lugar do anonimato no espaço público enquanto espaço de aceitação das diferenças e minorias, isto é, a importância de gerar espaços e dinâmicas que permitam pensar o espaço público como um território comum a todos e ao qual todos devem ter acesso, resumindo, gostaríamos de rever o conceito de democracia e pensar as artes como o terreno onde se podem gerar encontros entre cidadãos. Linha de Fuga faz-se em coprodução com o Teatrão.
 
Mais informações em: linhadefuga.pt
 

 

Consulte Plano de Contigência COVID -19 da OMT