Quando:
10 Setembro, 2018@18:18
2018-09-10T18:18:00+01:00
2018-09-10T18:33:00+01:00

Como se constrói uma cidade?

Educação para o património

Como pode o património ser reapropriado ou reinventado pelas diversas comunidades, para, através dos seus próprios projectos educativos, incentivarem à recriação das suas identidades locais em face do processo de globalização actual?
 
Como resolver a aparente contradição entre os ideais pós-modernos da inovação, da liberdade individual, da urbanização, da competitividade, do culto pelo novo e pela juventude, e o germinar de um interesse, sem precedentes, pelo património, pela herança cultural?
 
Como se constrói uma cidade? pretende ser um programa de atividades de formação artística para públicos escolares, num programa inovador de Educação para o Património, que promova o interesse, conhecimento, pesquisa e registo do património material e imaterial das cidades. Surge a partir da convicção de que as comunidades devem a observar o poder da sua herança cultural, e mesmo natural, como meio de reivindicação identitária, enquanto resposta à globalização de ideias, bens, capitais e serviços. Por outro lado, e apesar da liberdade individual constituir um dos principais apanágios das sociedades pós-modernas, nenhum ser humano pode viver à margem de uma ou várias comunidades. E as comunidades reivindicam cada vez mais a sua identidade por intermédio da divulgação do património, num processo educativo que não devemos descurar.

Deverá conter três programas distintos, destinados aos seguintes grupos escolares:

· Alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico
· Alunos do 3º Ciclo do Ensino Básico
· Alunos do Ensino Secundário

 
Pretende-se que os alunos, desenvolvam, em meio escolar mas em contacto com agentes culturais, um programa de visitas a espaços e manifestações patrimoniais, em paralelo ao desenvolvimento de oficinas artísticas baseadas nestas visitas. As oficinas serão espaço de confronto e relação entre a ficção e a realidade, o tempo antigo e a contemporaneidade, a relação entre comunidade e identidade. Pretende-se ainda desenvolver um projeto de criação de um Arquivo de Memórias, numa plataforma digital, que registe os contactos, entrevistas e recolhas dos alunos junto de determinada população e manifestação cultural. Desta forma as questões da identidade e pertença serão trabalhadas como ponto de partida para intervenções artísticas em meio escolar.
 
O primeiro programa será elaborado pelo Serviço Educativo do Teatrão, em colaboração com a Universidade de Coimbra – Reitoria e FLUC, Incidirá sobre o património edificado da Universidade de Coimbra. Serão consultoras científicas do projeto as investigadoras docentes Conceição Lopes e Joana Brites (FLUC).