Quando:
6 Outubro, 2021@8:58_9:58
2021-10-06T08:58:00+01:00
2021-10-06T09:58:00+01:00


De Portas Abertas II
Projeto de Intervenção Artística e Comunitária
Programação Paralela
31/10 (dom.)
17h
Oficina Municipal do Teatro
 
Entrada Livre, sujeita a reserva
 

Informações
239 714 013
912 511 302
info@oteatrao.com

De Portas Abertas II

Programação Paralela

Lançamento do livro “Práticas Artísticas, Participação e Política” de Hugo Cruz

 
Sinopse
As práticas artísticas participativas e comunitárias reúnem um interesse crescente na atualidade. A construção destas práticas tem acontecido num duplo sentido: se, por um lado, a criação artística contemporânea tem aprofundado a sua dimensão participativa, por outro, a educação e a intervenção comunitária e social têm recorrido às linguagens artísticas como alternativa às abordagens tradicionais. Num momento de particular perigo para as democracias e para a nossa vivência coletiva, este livro procura cruzar contributos da arte, da participação e da política, num diálogo intenso entre teoria e prática. Com base em estudos, inéditos pela sua dimensão e profundidade, desenvolvidos pelo autor em Portugal e Brasil nos últimos quatro anos, envolvendo 332 pessoas de 23 grupos teatrais, são discutidos os elementos fundamentais das práticas artísticas participativas e comunitárias, bem como as potencialidades e fragilidades que os processos criativos encerram na sua ligação à participação cívica e política.

 

Hugo Cruz
Cruzei Campanhã e o Bonfim enquanto crescia, a janela de um 6ºandar com as ruas sem saída das avós, tias/os e primos/as. os percursos paralelos e simultâneos na psicologia comunitária e da criação artística encontrei respiração no que era o próximo do humano. Reconheci-me nos movimentos associativos e na ação cívica e política. Cruzei o ensino público com a educação não formal em Portugal, Brasil, França e Espanha. Insisti em encontros que me inspiram com Eugenio Barba, Augusto Boal, Carlo Bosso, Ademar Bianchi, Edith Scher, Sanjoy Ganguly e tantos outros com quem me surpreendo em cruzamentos inevitáveis todos os dias. Pelo meio, e pelo melhor, cocriei com artistas profissionais e não profissionais em prisões, centros comunitários, escolas, bairros sociais, onde me senti mais próximo da vida. Apresentamos espetáculos juntos em espaços públicos, fábricas e lotas, teatros nacionais e festivais, no Brasil e na China. Sonhei e concretizei com bons cúmplices a criação da Pele, do Núcleo de Teatro do Oprimido, da Nómada, de projetos experimentais no contexto de políticas públicas em Santa Maria da Feira. Cruzei o ensino superior, com workshops, conferências, residências, o ensino com a aprendizagem, o corpo com a palavra, a arte com a política. Construí formas de programar com os outros, curadorias múltiplas e diversas espaço onde continuo a apreender como se faz. Cruzei a criação artística com o pensar sobre a mesma em consultadorias para municípios e projetos públicos e para as Fundações Calouste Gulbenkian e BPI / La Caixa. Ainda por esse meio, escrevi, como respiração para uma realidade confusa e opaca. Hoje continuo à procura de como me cruzar no mundo como ele é, de me aperfeiçoar neste ofício de misturar coisas e pessoas, sendo que para o fazer é essencial saber de onde elas vêm. O território onde me constituo é este – o do cruzamento.

 

Principais Linhas de Ação
> Doutorado pela Universidade do Porto com o tema “Práticas Artísticas Comunitárias e Participação Cívica e Política: experiências de grupos teatrais no Brasil e em Portugal”.
> Pós-graduado em Teatro Social e Intervenção Sócio-Educativa na Universidade Ramon Llull, Barcelona
> Publica e leciona nos contextos nacional e internacional nas áreas da “criação artística e espaço público”, “práticas artísticas comunitárias e participação cívica e política”, “arte e política” e “políticas culturais”.
> Investigador no CIIE-Universidade do Porto e CHAIA-Universidade de Évora.
> Integra a equipa de avaliação externa da Iniciativa PARTIS / Art for Change – Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação La Caixa
> Diretor artístico do MEXE_Encontro Internacional de Arte e Comunidade
> Consultor artístico em diferentes projetos nacionais e internacionais (eg.: municípios, festivais e fundações).
> Cofundador da Pele, Núcleo do Teatro do Oprimido do Porto e Nómada.
> Foi diretor artístico do Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua, Mira_Artes Performativas, Mostra Criação Contemporânea no Brasil e curador convidado em distintas iniciativas.
> Direção artística de diversos projetos teatrais em coconstrução com comunidades locais