Quando:
6 Outubro, 2021@8:58_9:58
2021-10-06T08:58:00+01:00
2021-10-06T09:58:00+01:00


Criação: Teatromosca
1 fevereiro | 19h | Sala Grande da OMT
 
Duração estimada | 150 minutos (sem intervalo)
Classificação etária | M/16 anos
Preço: 4-10€
 
Informações
239 714 013 (Chamada para a rede fixa nacional)
912 511 302 (Chamada para a rede móvel nacional)
info@oteatrao.com

Os Protegidos

 
“Os Protegidos”, texto inédito de Elfriede Jelinek, baseado num acontecimento real – a presença em território austríaco, no final de 2012, de cerca de 100 refugiados de várias nacionalidades e em busca de asilo -, trata do modo displicente, cobarde e inadmissível como o Estado austríaco entendeu tratar esta trágica ocorrência, e o imediato e simultâneo enfurecimento de grupos de extrema-direita a propósito da presença em Viena desse conjunto de estrangeiros. O texto tem vindo a ser revisto pela autora, procurando, de certo modo, expandir o assunto da peça em direção a outros tempos da História da Humanidade, criando novas possibilidades de articulação com a matéria atual. O carácter reflexivo de todo o conjunto parece sustentar a ideia de que a humanidade pouco ou nada muda e não aprende com os seus próprios erros. Essencialmente a autora produz exposição de processos corruptores de que se servem os poderosos a nível mundial, fazendo uso da sua influência junto de outros, e a fim de alcançarem benefícios que de outro modo não teriam.
 
O espetáculo parte deste texto da aclamada autora austríaca, com tradução assinada por Anabela Mendes, que assume, igualmente, o papel de dramaturgista neste projeto, com encenação de Pedro Alves e banda sonora original, interpretada ao vivo, pela violinista Maria da Rocha. O trabalho assentará tanto sobre a linguagem e a desconstrução das convenções do drama (a unidade de tempo, lugar, ação, a fábula, as personagens, o diálogo etc.), criando invés uma espécie de orquestração de vozes, privilegiando ritmos e jogos de sonoridade musical e em que a linguagem entra em cena como “superfície de texto”, seguindo algumas das noções do teatro pós-dramático de Lehmann, como refletirá sobre a heteroglossia proposta por Mikhail Bakhtin, a definição de chora para Julia Kristeva ou a teoria da presença defendida por Hans Ulrich Gumbrecht, expondo, de modo muito claro, um conjunto de questões políticas fraturantes que ensombra as sociedades contemporâneas.

 

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA

Texto Elfriede Jelinek
Tradução e dramaturgia Anabela Mendes
Direção artística Pedro Alves
Interpretação João Pedro Leal, Philippe Araújo, Rafael Barreto e Rita Morais
Banda sonora original Maria da Rocha
Cenografia Pedro Silva
Figurinos Catarina Graça
Direção de movimento Esther Latorre e Hugo Pereira
Direção vocal João Henriques
Direção técnica, desenho de luz e operação Carlos Arroja
Apoio técnico Diogo Graça
Direção de produção Inês Oliveira
Assistência de encenação Maria Carneiro e Milene Fialho
Fotografia e produção executiva Catarina Lobo
Produção teatromosca
Coprodução Colectivo Glovo, Teatro Diogo Bernardes, Teatro Nacional São João, Theatro Circo | O teatromosca é uma estrutura financiada pela República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes e pela Câmara Municipal de Sintra

Duração estimada | 180 minutos (sem intervalo)
Classificação etária | M/16 anos

 

Comprar Bilhete

 


© Catarina Lobo